Pular para o conteúdo
Voltar

GAPE é enviado para operação conjunta em garimpo ilegal de Aripuanã

A equipe é composta por dois peritos oficiais criminais e um papiloscopista.
Assessoria | Politec-MT

- Foto por: Assessoria Politec-MT
A | A

O Grupo de Atuação em Perícias Especiais da Politec foi enviado para a Serra de Santo Expedito, a 13 km da cidade de Aripuanã (a 1.200 km de Cuiabá), onde foi deflagrada nesta segunda-feira (07.10), a Operação Trype. A equipe é composta por dois peritos oficiais criminais e um papiloscopista.

A Operação foi desencadeada de forma conjunta entre a Polícia Federal e as forças de segurança estadual, em cumprimento de uma ordem judicial que determina intervenção na área de garimpo ilegal. Também dão apoio à ação fiscais do Ibama e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Aos peritos coube a realização de perícias em armas de fogo e nos materiais apreendidos, e no local onde ocorreu a morte de um garimpeiro durante o confronto. O papiloscopista realizou a identificação da vítima, cujo corpo foi periciado por um médico legista e liberado posteriormente.

No barraco dele foram encontradas duas espingardas cartucheiras, uma de cano longo e outra de cano curto, de calibre não identificado. Além disso, havia invólucros de pólvora, chumbo, pote com espoleta, cartuchos intactos e outros deflagrados, além de dois invólucros de quantidade não especificada de substância semelhante a ouro. As armas e projeteis coletados no local serão submetidos ao confronto balístico. 

Ao fazer a segurança do local antes da entrada das demais equipes que são as da Polícia Federal, Sistema Penitenciário, Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros, Grupo de Operações Especiais (GOE) da PJC, Politec, Polícia Militar, Força Tática, Rotam e os fiscais do Ibama e da Sema, os policiais do Bope observaram que havia vários barracos no local, alguns vazios, e outros ocupados por garimpeiros.

No momento da incursão, a equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) reagiu a disparos de espingarda e atingiu um garimpeiro com dois tiros na região do tórax,

Eles orientaram que os garimpeiros saíssem do local e fossem para uma triagem, onde seria feita uma varredura. Neste momento, em um dos barracos, um garimpeiro de nome não identificado, disparou tiros contra os policiais do Bope. Em razão disso, um dos policiais revidou a agressão e acertou dois tiros no homem. Ele foi socorrido e levada para o Hospital Municipal Santo Antônio, contudo, já havia falecido.

Garimpo ilegal

O garimpo ilegal na área funciona desde outubro de 2018 e atualmente estima-se uma população flutuante entre mil a 1,5 mil pessoas. No local há pessoas armadas, e isso tem contribuído para homicídios no local. Além disso, há outros crimes cometidos no local como: ambientais, contra o patrimônio e tráfico ilícito de drogas.

(Com informações da Sesp-MT)