Pular para o conteúdo
Voltar

Polícia Comunitária desenvolve diversas ações com a participação dos cidadãos

Assessoria
PJC-MT

- Foto por: Assessoria
A | A

Nos últimos meses, a Polícia Judiciária Civil, através da Coordenadoria de Polícia Comunitária, tem buscado parcerias visando fortalecer as ações de prevenção, bem como fomentar a forma voluntária no engajamento e participação do cidadão, em trabalhos transformadores para a sociedade.

Dentre as várias atividades sociais desenvolvidas pela Polícia Comunitária, no último sábado (26.10), os policiais civis Luiz Carlos Seixas e Dayane Carvalho, participaram da comemoração ao dia das crianças, no Bairro Água Vermelha em Várzea Grande. O evento foi promovido pelo grupo de voluntários VG+Ação, criado desde 2018.

O projeto VG+Ação desenvolvido por pessoas voluntárias, têm como objetivo prestar serviços em diferentes áreas. Conforme a coordenadora, Marciany Bustamante, o grupo conta com cerca de 100 voluntários, entre aqueles que participam direta e indiretamente nas ações. “O papel do voluntariado é muito importante para a sociedade, pois oportunizamos serviços sociais para pessoas carentes, que muitas vezes não tem como pagar, por um motivo ou outro”, falou a responsável pelo VG+Ação.

 

No domingo (27.10), a Coordenadoria de Polícia Comunitária esteve presente em outra ação integrada, para as crianças de um bairro carente no município de Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte de Cuiabá). Na ocasião, foram realizadas atividades lúdicas com crianças, pinturas e distribuição de presentes. O apoio da Polícia Civil foi em levar o grupo com o ônibus para realização das ações.

O trabalho foi realizado em parceria como o grupo de Jovens Solidários Mato Grosso que é uma organização sem fins lucrativos, e tem como causa a promoção da dignidade humana por meio de doações de alimentos, medicamentos, brinquedos, roupas e calçados. Segundo a presidente do grupo, Luciene Taques, promover o mínimo de dignidade e esperança, fazendo da forma que pode, como pode, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, destacou ela.

Outro parceiro importante é a Unimed/PróUnim, que tem como missão desenvolver projetos e políticas que contribuam para a melhoria da saúde e qualidade de vida das pessoas tem acompanhado os projetos sociais da Polícia Civil em algumas ações de prevenção.

 

Nos últimos 15 dias, a Coordenadoria de Polícia Comunitária participou de dois eventos preventivos nas escolas Maria Tomich, no dia 22 de outubro, no bairro Ribeirão do Lipa e, no dia 28 de outubro, na Escola Estadual Professor Ulisses Cuiabano, no bairro Jardim Cuiabá com a temática do “bullying e cyberbullying”. 

Ao todo, foram atendidos cerca de 550 alunos do ensino fundamental e médio respectivamente com a participação dos policiais civis Laura Léa e Edmir Sena.

Para o Coordenador de Polícia Comunitária, Ademar Torres, o campo de atuação é dirigir, supervisionar e controlar as ações para integração da comunidade e a Polícia Civil, visando consolidar a filosofia da Polícia Comunitária

 

“Nosso trabalho é de fomento da prevenção primária bem como o contínuo acompanhamento de projetos, convênios e programas comunitários em todo o estado, o qual resulta no trabalho intersetorial nas diversas áreas: jurídica, da educação, da segurança, da saúde e da assistência social na busca de soluções para minimizar, os fatores de risco e o fortalecimento de fatores de proteção, sobretudo, reduzindo as vulnerabilidades”, disse.

Ademar acrescentou ainda que as ações têm como foco estreitar os laços com a comunidade local no intuito de conquistar a confiança e, consequentemente, passar a receber informações que refletirão diretamente em uma melhoria na prestação do serviço policial e uma tentativa de humanizar, de agregar pessoas diferentes com formações diferentes que prestam serviços semelhantes às pessoas diferentes”, destacou.