Pular para o conteúdo
Voltar

Justiça realiza atendimento no Centro de Ressocialização de Várzea Grande

Durante uma semana, cinco unidades penais de Cuiabá e Várzea Grande foram visitadas pelo Tribunal de Justiça
Hérica Teixeira | Sesp-MT

- Foto por: Assessoria/Sesp-MT
A | A

O Poder Judiciário de Mato Grosso finalizou, nesta sexta-feira (29.11), as visitas de correição nas cinco unidades penais de Cuiabá e Várzea Grande. A última estrutura a ser visitada foi o Centro de Ressocialização de Várzea Grande (Capão Grande), que atualmente abriga 179 homens. O objetivo do trabalho é coletar informações dos reeducandos quanto ao cumprimento da pena.

A programação é realizada uma vez ao ano e leva em consideração a Consolidação das Normais Gerais da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso, que determina ao juiz competente que realize correição anual nas delegacias de polícia e unidades prisionais sob sua jurisdição. O trabalho de levantamento de informações foi realizado pelo juiz da Vara de Execução Penal, Geraldo Fidelis Neto.

A equipe do Tribunal de Justiça percorreu os três raios da unidade e ouviu os relatos dos custodiados sobre as condições do espaço, tratamento recebido pelos servidores e das atividades disponíveis. Segundo o juiz, durante as visitas ao longo desta semana, uma das principais queixas é a demora de constatar o término da pena.

“Toda a vez que entro em qualquer unidade, há sete anos, encontro pessoas que reclamam do excesso de prazo. Recebo todas as queixas e vou para o gabinete e verifico que não é bem assim, mas eu falo para eles que não estou aqui para prometer liberdade para ninguém, estou aqui prometendo que vou estudar o processo. Esse acesso com eles (reeducandos) é muito importante porque explica, elucida, tira a tensão. Então, essa presença do Poder Judiciário dentro das penitenciárias é fundamental, tem que ser o mais perto possível deles”, enfatiza Fidelis.

Já a superintendente penitenciária da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), Simone Pietsch, destaca que a visita do juiz na unidade é importante para buscar o aprimoramento no atendimento. 

“Acompanhamos in loco toda a movimentação das unidades prisionais para saber quais são as deficiências que nós temos e vamos buscar aprimorar elas. A correição apura situações desde a estrutura física, arquivo, atendimento médico, trato do servidor com o recluso. Nossa missão como agente penitenciário é a disciplina e segurança na unidade”, relata.

Além do Centro de Ressocialização de Várzea Grande, foram visitadas a unidade prisional feminina Ana Maria do Couto May, a Penitenciária Central do Estado (PCE), Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) e Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC).