Pular para o conteúdo
Voltar

Trabalho integrado prende quatro e identifica casa usada como ‘cofre’ por organização criminosa

Os suspeitos já vinham sendo monitorados devido a suspeita de serem membros de uma organização criminosa, além da casa que eles viviam ser usada como esconderijo de drogas, armas e produtos roubados – denominada de cofre.
Maricelle Lima Vieira | PM-MT

A | A

Um trabalho conjunto realizado na cidade de Araputanga (a 345 km de Cuiabá) entre unidades da Polícia Militar com apoio de agentes da Polícia Judiciária Civil - resultou na prisão de quatro homens por associação ao tráfico de droga.

Os suspeitos já vinham sendo monitorados devido a suspeita de serem membros de uma organização criminosa, além da casa que eles viviam ser usada como esconderijo de drogas, armas e produtos roubados – denominada de cofre.

Durante o monitoramento, os policiais perceberam que um dos suspeitos carregava porções de entorpecente. Ele recebeu ordem de abordagem, mas correu e gritou para os comparsas que a polícia estava no local.

Dentro da casa, o suspeito resistiu à abordagem e tentou sacar uma arma de fogo quando a atitude foi revidada por um dos policiais que o acertou com um tiro na mão, causando a queda do revólver, com três munições, sendo duas picotadas.

Um terceiro suspeito simulou estar armado e durante o procedimento, os militares atiraram no chão, sendo os estilhaços o atingindo. Outros dois criminosos se entregaram sem resistência.

Os dois homens com ferimentos foram encaminhados ao Hospital Municipal da cidade. O ferido na mão precisou ser levado para unidade de saúde de Cáceres e permanece sob custódia do Estado.

Na vistoria na casa, os policiais encontraram 11 tabletes de maconha, R$ 4,5 em dinheiro. Dentro de um latão, os militares encontraram dois revólveres calibre 38, 24 porções e 67 papelotes de pasta base de cocaína, além de duas porções grandes da mesma droga.

Foram apreendidos ainda jóias, relógios, quatro aparelhos de TV, 10 facas, três motocicletas e um veículo Honda Civic

Já na delegacia, uma senhora se apresentou como proprietária de uma joalheria alegados que as jóias e os relógios teriam sido roubados da sua loja, no dia 02 de setembro deste ano.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.