Pular para o conteúdo
Voltar

Dois Batalhões e a Companhia Palácio de PM têm novos comandantes em Cuiabá

A tenente-coronel Jane assumiu o 9º Batalhão e os tenentes-coronéis Óttoni e Frederico assumiram o 24º Batalhão e 4ª Companhia Independente de Segurança Institucional(a Cia Palácio
Alecy Alves | Secom-MT

- Foto por: Sd Elias/PMMT
A | A

O 9º Batalhão de Polícia Militar, ‘Guardião do Coxipó’, como é denominado, agora está sob o comando de uma mulher. Com 23 anos de carreira militar, a tenente-coronel Jane Souza Melo assumiu a função de comandante do 9º BPM no final da tarde desta quarta-feria (17).

Na nova unidade a TC Jane, que comandava o 7º Batalhão de Rosário Oeste (128 km de Cuiabá), substituiu o também tenente-coronel Juliano Paulo Athayde. Na mesma solenidade, no quartel do 1º Batalhão, os tenentes-coronéis Óttoni Cézar Castro Soares e Frederico Correa Lima Lopes assumiram os comandos do 24º Batalhão (sediado no bairro São João Del Rey) e 4ª Companhia Independente de Polícia Militar de Segurança Institucional (a Cia Palácio).

O tenente-coronel Óttoni substituiu o tenente-coronel Frederico. Já o TC Frederico, agora na Cia Palácio, substituiu o também tenente-coronel Gilcimar Mendes Corrêa. Bastante elogiados pelo comandante do 1º Comando Regional de Cuiabá, coronel Esnaldo de Souza Moreira, os ex-comandantes Juliano Athaide e Gilcimar Corrêa devem ser designados em breve para funções de comando em outras unidades.

O coronel Esnaldo lembrou que mudanças de comando fazem parte da rotina da carreira dos militares e das atividades de polícia. Além de possibilitar a oxigenação das atividades operacionais, permitem que outros oficiais assumam postos de comando, observou.

O comandante geral, coronel Jonildo José de Assis,  destacou o trabalho dos comandantes substituídos dizendo que os momentos dedicados ao bem comum, ao exercício do comandando com responsabilidade, hora, serenidade, eficiência e entusiasmo jamais serão apagados da história institucional.   

“Os senhores deixam as funções com sentimento do dever cumprido e de comprometimento com os valores militares, pois cada um ajudou a escrever a história das unidades que deixaram”, completou.

Os que assumem, Assis disse, agora têm o desafio de aprimorar o que já foi feito, buscando resultados mais elevados sem jamais desprezar o passado, porém não limitados ao que já fizeram os que lhe antecederam.

O comandante também destacou a importância da valorização e motivação permanente da tropa, dos policiais, pois são eles os responsáveis pelo controle dos índices criminais. De acordo com o comandante, valorizar os policiais não é uma questão de alinhamento ou postura de comando, mas uma obrigação, assim como reconhecer e enaltecer o empenho e os bons exemplos.