Pular para o conteúdo
Voltar

Sesp e TJ inauguram Escritório Social para reintegração de reeducandos na sociedade

Escritório vai atuar fortemente na redução no número de pessoas que voltam a praticar crimes após deixarem o sistema prisional
Willian Silva | Ses-MT

Sede do Escritório de Projetos - Foto por: Marco Cappelletti/TJMT
Sede do Escritório de Projetos
A | A
A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), juntamente com o Poder Judiciário de Mato Grosso (TJMT), inauguraram nesta quarta-feira (30.11) a sede do Escritório Social, em Cuiabá. A unidade terá atuação exclusiva na capacitação e encaminhamento de reeducandos do Sistema Prisional ao mercado de trabalho durante o processo de progressão de pena.
 
O Escritório Social é resultado da junção de forças dos poderes Executivo, Estadual e Municipal, junto com o Judiciário, que se uniram em prol de um projeto que vai atuar fortemente na redução no número de pessoas que voltam a praticar crimes após deixarem o sistema prisional.
 
O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, destacou, durante a inauguração, que o Escritório terá apoio primordial da Fundação Nova Chance, que vai atuar diretamente no fornecimento de cursos de qualificação, treinamento e por fim o encaminhamento do egresso ao mercado de trabalho.
 
“Após o cumprimento da pena, a pessoa precisa de uma oportunidade que, se não for dada, ele volta para crime e quem paga o cumprimento da pena é o cidadão que está livre. Então, temos que nos esforçar para que essa pessoa não volte a praticar crime e esse é o papel do Escritório Social, que vai dar a oportunidade para quem está saindo do sistema prisional, uma colocação social para que ela trabalhe e tenha capacidade de sustentar a sua família, cortando o cordão umbilical com o crime”, enfatizou Alexandre Bustamante.
 
Bustamante lembrou que Mato Grosso possui uma das dez menores taxa de reincidência do país, 37%, mas avaliou que é preciso reduzir ainda mais e alcançar patamares abaixo de 10%, o que seria ideal em uma sociedade.

O desembargador Orlando Perri, supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF), também participou da cerimônia e afirmou que o escritório terá papel fundamental na reconstrução da vida dos condenados, tanto no ambiente familiar quanto no contexto social.

“O escritório vai trabalhar com o pré-egresso, ou seja, aquele preso que está prestes a ganhar a sua liberdade. O projeto vai trabalhar ele e a família dele, preparando o retorno seu à sociedade, inclusive em termos de reinserção na própria família e, principalmente, encaixando ele no mercado de trabalho”, explicou Orlando Perri.

O juiz auxiliar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Luiz Geraldo Lanfredi, também participou da inauguração da sede e elogiou a estrutura do escritório. Ele ainda reconheceu o empenho da atual gestão que vem investindo massivamente no setor da segurança pública.

“O Sistema Prisional aqui é sólido. Os serviços penais estão sendo qualificados e hoje, na ponta, vem o Escritório Social, para despertar a sociedade como um equipamento de qualificação das pessoas que passaram pelo sistema prisional e têm que retornar à sociedade melhores e com condições de sociabilidade. Parabéns a todos envolvidos”.