Pular para o conteúdo

A ESIMAT

 

A necessidade em instituir a Escola de Inteligência surge em decorrência de duas demandas importantes para a Segurança Pública e para o Estado de Mato Grosso, sob o ponto de vista da Inteligência Estratégica. A primeira diz respeito à melhoria do processo de assessoramento de inteligência para a tomada de decisão dos gestores destinatários desse processo. A segunda refere-se ao aperfeiçoamento continuado de métodos, técnicas e tecnologias com a finalidade de dotar o Estado de capacidade para fazer frente às ações adversas e contrárias ao Estado democrático de direito.

O processo de assessoramento de inteligência envolve uma cadeia construtiva do conhecimento relevante ao tomador de decisão, nos níveis operacional, tático e estratégico, que requer a busca de dados e análises cada vez mais elaboradas. Várias reuniões de trabalhos, discussões em cursos e outros apontamentos durante a atividade diária, nas mais diversas agências de Inteligência, têm demonstrado certa fragilidade na metodologia formativa dos profissionais de Inteligência de Segurança Pública. Não há no Estado uma matriz curricular única com potencialidade em adaptar a realidade do Estado a uma metodologia própria na produção do conhecimento, com capacidade esperada para subsidiar Tomadores de Decisões, principalmente no nível estratégico.

O aperfeiçoamento de novas tecnologias e métodos é uma constante nas sociedades modernas, encontrando-se à disposição, tanto para a evolução da sociedade, como para a perpetração de ações delituosas. Compreender tudo isso, exige um processo que vai além do saber dos novos modus operandi do crime, sendo necessário aprofundar nessas práticas para abstrair toda a sua potencialidade lesiva, obtendo como resultado, a identificação de métodos e novos meios para combater tais práticas.  

Tanto a melhoria do processo de assessoramento, quanto o aperfeiçoamento de novos métodos de combate ao crime precisam de conhecimentos, técnicas e práticas aprofundados capazes de atingir seus objetivos precípuos, os quais só serão conquistados se houver um processo permanente de ensino-aprendizagem que possibilite o profissional constantemente se atualizar e se readequar, sob pena de os processos até então conhecidos se tornarem obsoletos e ineficazes. É exatamente por isso, que se idealizou a Escola Superior de Inteligência de Mato Grosso, que muito contribuirá para a evolução do conhecimento e para o auxílio à tomada de decisões importantes e estratégicas para o desenvolvimento do Estado em todas as esferas.

Nesse contexto, a ESIMAT terá um papel, enquanto formadora de opinião e vontade pública, orientando – enquanto órgão de Estado ou voltado para ele – as políticas públicas no campo da Inteligência de Segurança Pública, que contribuirá para a redefinição da cultura política, articulando, estimulando e coordenando – de forma sistemática – os debates sobre a Segurança Pública, novos paradigmas gerenciais, compromisso ético e formação política do servidor público.

Portanto, a Escola tem a preocupação de observar a realidade dos sujeitos envolvidos e buscar as condições necessárias para o desenvolvimento das ações planejadas. Visa à formação de parcerias no sentido de promover a articulação dos vários órgãos e preza o respeito pela diversidade de opiniões e diferenças institucionais que permitirão o crescimento do SISP/MT.

 

Missão

Promover programas de educação profissional para o Sistema de Inteligência de Segurança Pública de Mato Grosso – SISP/MT, com vistas à profissionalização, atualização, aperfeiçoamento e especialização dos servidores públicos, bem como, fomentar a pesquisa, o desenvolvimento de novas tecnologias e a elaboração da doutrina estadual de Inteligência.

 

Visão

Ser a Escola referência no Brasil de ensino voltado para a Inteligência no campo Estratégico.

 

Público Beneficiário

A ESIMAT atenderá aos servidores públicos, profissionais da área de Inteligência de Segurança Pública, com amplitude aos órgãos que compõem o Sistema de Inteligência de Segurança Pública e demais órgãos estratégicos dentro de cada Secretaria de Estado ou dos Poderes Legislativo e Judiciário do Estado de Mato Grosso.