Pular para o conteúdo

Sobre o CIOPAer

 

Em Mato Grosso esse importante segmento aeropolicial ganha asas no início da década de 80, quando foram realizados alguns estudos para adoção do policiamento aerotransportado na Polícia Militar de Mato Grosso. Tanto que a polícia florestal realizou um trabalho piloto com emprego de ultraleves na fiscalização ambiental de mananciais e recursos florestais.

Na década de 90, por diversas vezes foram realizadas demonstrações em Cuiabá, estimulando as autoridades a adquirirem uma aeronave de asa rotativa, para atender as demandas sociais e aprimorar os serviços.

No ano de 1997 o Governo do Estado adota medidas políticas e administrativas com o propósito de adquirir para a Secretaria de Estado de Segurança Pública uma aeronave de asa rotativa com recursos oriundos do Banco de Desenvolvimento Interamericano (BIRD). A manobra política foi realizada com recursos destinados a então Fundação de Estado de Meio Ambiente (FEMA). Meses mais tarde, chega em Cuiabá-MT uma aeronave de asas rotativas, de fabricação Francesa, modelo AS50 B2, conhecida comercialmente por “Esquilo”, entregue à Polícia Militar do Estado de Mato Grosso no ano de 1998.

Em 12 de janeiro de 1998 ato do Srº Cel QOPM Dival Pinto Martins Correia, então Comandante Geral da PM-MT, materializado por meio da portaria n° 001/GABCMT-GERAL, cria o “Grupamento Aéreo de Radiopatrulhamento - GAR” da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, com vista a receber a aeronave e estruturar a nova unidade policial em termos de pessoal e material. A portaria citada estabelece, dentre outras coisas, a nomenclatura, circunscrição, estruturação, finalidade e subordinação da unidade aérea.

Em 24 de setembro de 1999 a portaria nº 030/PM-1/EMG-PMMT, de lavra do Cel PM José Renato Martins da Silva, então Comandante Geral, extingue o Grupamento Aéreo de Radiopatrulhamento (GAR) e cria o Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo (GRAer), com o propósito básico de “executar o apoio as operações terrestres da Polícia Militar, bem como, atuar nas buscas e salvamentos de emergência”.

Em 19 de julho de 2006, o Governo do Estado cria o Cento Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer) dentro da estrutura da então Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP), por meio do Decreto nº 7.896. Suas atividades foram reguladas em 17 de novembro de 2006 pelo Decreto nº 8.304, com o propósito de modernizar as atividades operacionais da segurança pública que utilizam meios aéreos em todo Estado de Mato Grosso, centralizar e racionalizar, em um único órgão, o controle, a operação e a manutenção das aeronaves de asas fixas e rotativas, empenhadas em atividade policial, patrulhamento ambiental, socorro público e defesa civil, tornando as atividades desempenhadas pelos operadores de segurança pública mais dinâmica e compatível com as necessidades e interesses da sociedade mato-grossense.

A nova organização foi criada ainda com a finalidade de promover a gestão, a integração e a otimizados meios e recursos aéreos disponíveis, visando prestar apoio em missões diversas executadas pelos operadores de segurança pública. As atividades do CIOPaer são desempenhadas por bombeiros, policiais civis e militares que se dividem nas funções de pilotos, tripulantes, mecânicos e serviço administrativo, totalizando atualmente (2019) 94 servidores.

O CIOPAer conta com frota atual de 08 (oito) aeronaves, sendo 03 (três) helicópteros modelo AS 350 (Esquilo – Helibrás), e 05 (cinco) aviões, sendo 02 (dois) monomotores modelo Cessna 210, e 03 (três) bimotores, dois Sênecas III e 01 Baron, que comportam até quatro passageiros cada.

 

 

Missão

Executar o policiamento ostensivo, pelo processo aerotransportado, em território mato-grossense. Contribuir com o êxito da missão constitucional da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, preservando a tranquilidade pública e a columidade das pessoas. Contribuir para o êxito das missões da Polícia Judiciaria Civil no esclarecimento de crimes e apoiar o Corpo de Bombeiros Militar na execução das operações de resgate, busca e salvamento, além das missões típicas de Defesa Civil.

 

Visão

Ser um grupo de referência nacional, reconhecido pela excelência nas suas ações, serviços e emprego tático e técnico, desenvolvendo um trabalho contínuo, permanente e sólido, capaz de responder aos anseios e clamores sociais, contribuindo efetivamente para redução e controle da criminalidade no Estado de Mato Grosso.

 

Objetivos

  • Prestar serviço de qualidade para a sociedade mato-grossense;

  • Otimizar recursos humanos e materiais de modo a canalizar todos os esforços no combate eficiente a atuação criminosa mediante planejamento devido, evitando desgastes desnecessários;

  • Ter excelente eficiência administrativa;

  • Ter excelente relacionamento com as demais unidades de Polícia Militar e Comando Estratégico das Instituições de Segurança Pública;

  • Valorizar a atuação dos membros da organização;

  • Valorizar o comprometimento organizacional dos indivíduos no grupo.

É importante salientar que o CIOPAer é o único vetor/unidade aérea que atua no Estado de Mato Grosso, com 903.357 km² de dimensão territorial, e cerca de 700 km de fronteira seca com a Bolívia, região com altos índices de roubo e furto de veiculos, tráfico de drogas ilícitas e armas, entre outras modalidades criminosas. Assim, o CIOPAer exerce o suporte direto nas ações das Forças Armadas – Força Aérea Brasileira (FAB), Exército Brasileiro (EB) e Marinha do Brasil, à Superintendência da Polícia Federal de MT, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), e Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) da Sesp-MT.